E agora. será que eu começo mesmo?

Há muito tempo venho sentindo saudade de escrever. Particularmente redações para o vestibular, com temas fixos, textos dissertativos e com número máximo de linhas estabelecido, dando uma página de escrita à mão.
Para tentar matar essa saudade, retomar meu exercício de escrever melhor, e até mesmo como autoterapia, a idéia de começar um blog há muito já me seduzia; a preguiça que sempre me impediu. Afinal, escrever como treinamento no pré-vestibular tinha um objetivo, o trabalho tinha que ser entregue; fazer dever de casa sem prazo ou obrigação de entrega pode ser bem mais difícil, por incrível que pareça.
Enfim, por hoje vou somente descrever o motivo pelo qual começo este blog: em uma aula prática na faculdade de Medicina (que na verdade parecia mais uma reunião), meu professor, Dr. Sérgio Setúbal, excelente médico e professor, acusou todos nós presentes (diga-se de passagem, alunos que passaram para o vestibular de Medicina em uma universidade federal) de ser péssimos escritores, e desafiou-nos, ou nos aconselhou, não sei bem ao certo, a escrever pelo menos 5 linhas por dia. E aqui estou. Peço perdão pela ferrugem da minha escrita, e principalmente pela minha prolixidade (tive vontade de abrir parênteses como esse umas 10 vezes neste curto texto).
E comecei. Espero que a brincadeira continue.